Tá No Sangue S.F.C.

Uma vitória que deu medo

www.tanosanguesfc.com.br   Por: Márcio Veratti  08/06/2017



Resultado de imagem para Santos 1 x 0 Botafogo 2017

Foto: Ivan Storti/ Santos FC


O Santos enfrentou o Botafogo ontem (07) no estádio do Pacaembu em partida válida pela quinta rodada do campeonato brasileiro e venceu o alvinegro carioca pelo magro placar de 1x0, com gol de cobrança de falta realizada por Vitor Ferraz aos 50 minutos do segundo tempo.

Os quase 15 mil torcedores que estiveram presentes no Paulo Machado de Carvalho, pouco viram o Santos produzir, com um futebol amarrado e sem opções, totalmente compreensível, até mesmo pelos desfalques da equipe e as mudanças de última hora que o técnico interino Elano teve que fazer com atletas que não vinham atuando com frequência.

O Botafogo também pouco criou, e teve algumas poucas oportunidades por falhas da defesa Santista que quase complicou o jogo em duas oportunidades.

No último lance do jogo,  na base do abafa, o Peixe pressionou e conquistou uma falta frontal, que foi batida com perfeição por Vitor Ferraz, que fez um gol importante, tirando a equipe de uma situação desconfortável na tabela e que pode dar confiança ao elenco para os próximos jogos.

Apesar do gol, Vitor Ferraz teve como de costume um fraco desempenho na partida, pecando defensivamente e proporcionando por diversas vezes um grande espaço para o adversário, e ineficiente no apoio com apenas passes para trás e sem efetuar cruzamentos na grande área.

E como é bonito ver o Renato jogar. Com classe e elegância, enche os olhos dos torcedores e comentaristas com seus passes laterais e recuos. Porém. Pouquíssimo eficiente, lento demais na transição da defesa para o meio, não cobre os laterias, sobrecarrega Thiago Maia que tem que marcar por ele, e para o futebol atual está pouquíssimo competitivo, onde termina seus jogos com seu “terno” limpo e sem desmanchar o penteado. Renato é nosso ídolo. Mas já deu.

Vechio teve uma partida de regular para baixo, facilmente aceitável por estar fora durante muito tempo. Kayke não teve uma boa noite e ainda não mostrou a que veio. Vitor Bueno, se for escalado em sua real posição de meia, pode voltar a render como no ano passado. Arthur Gomes não desempenhou bom futebol a sua característica, mas com sequência deve melhorar. O restante não comprometeu, mas também não jogou.

Levir Culpi terá muito trabalho para desincrustar o futebol pragmático e apático deixado de herança por Dorival Júnior que tentou revolucionar um Santos ofensivo com posse de bola inútil.

Veja os melhores momentos: