Tá No Sangue S.F.C.

Santos tem 1ª decisão do Brasileiro no Maracanã e precisa jogar com mais coragem 

www.tanosanguesfc.com.br   Por: Márcio Veratti  13/04/2017


Dorival Júnior orienta jogadores do Santos em treino (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

O campeonato Brasileiro de 2017 começa para o Santos neste domingo (14) as 11h00 fora de casa no estádio do Maracanã contra o Fluminense. E será a primeira decisão do elenco na competição nacional. Decisão sim, pois muitos técnicos e jogadores ainda não assimilaram o regulamento do campeonato de pontos corridos, onde os pontos conquistados no início da competição, em um clássico regional ou contra um clube de menor expressão, valem os mesmos pontos conquistados no fim do ano, contra um grande clube, e dentro ou fora de casa.

O Santos está na disputa de três competições nesta temporada 2017, Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores da América. E como já ouvimos declarações de Dorival Júnior, que pode poupar alguns jogadores nessa “maratona” de jogos, já bate a mesma preocupação de quase três anos na torcida Santista, que sofre com essa desnecessária mania do futebol brasileiro de poupar jogadores na competição nacional, que já nos prejudicou muito no fim de temporadas passadas, onde pontos preciosos foram perdidos por um preciosismo que pode ser evitado.

Na opinião do Movimento de Sócios do Santos F. C. Tá No Sangue, poupar jogadores, é uma demonstração de fraqueza da comissão técnica e jogadores, onde na maioria das vezes, se prioriza uma competição, e acaba fracassando em todas. O profissionalismo tem que estar em primeiro lugar, e se o atleta tem a condição de titular, tem que jogar até suas condições físicas e médicas permitem, e quando chegar no seu limite, seda a titularidade para o suplente que aguarda uma oportunidade.

O Santos se reforçou este ano, e hoje tem um elenco melhor que do ano passado, e a torcida espera muito que neste início de Brasileirão, Dorival Júnior tenha mais coragem para administrar o grupo de jogadores e suas vaidades, colocando sua autoridade de técnico acima da vontade dos atletas, e arrisque mais em jogos fora de casa.