Tá No Sangue S.F.C.

Respeito para ser respeitado 

www.tanosanguesfc.com.br   Por:Um torcedor Santista 15/04/2017



Hoje, as redes sociais estão em polvorosa, tudo por conta de um desrespeito feito por um programa esportivo que usou o nome do Glorioso Santos Futebol Clube de forma realmente acintosa. Li manifestos, coletivos e individuais, que marcaram a revolva de toda uma coletividade.

Vi promessas de retaliações, vi campanha de boicotes a programação da emissora, vi ofensas pessoais a apresentadora do programa, aos participantes de uma maneira em geral, a direção, em fim uma indignação coletiva a tudo e a todos. E diante de tantas teorias que tentam relatar o por que isso ocorreu, também fiquei pensando em uma.

Será que isso não é o reflexo da forma que nós mesmos tratamos o clube?

Nós, SANTISTAS, respeitamos nossa instituição ao ponto de fazer com que os outros também nos respeitem?

Diariamente vejo nestas mesmas tribunas onde a indignação foi externada, postagens que em nada enaltecem ou mesmo preservam esse mesmo clube, que hoje foi ultrajado.

Quem trabalha nos meios de comunicação também é gente. Tem página no facebook, tem twitter, instagran, em fim, vive exatamente como qualquer outra pessoa.

E o que essa pessoa lê cotidianamente sobre o clube?

Será que ela lê respeito, consideração, preservação de imagem, ou ao invés disso, assiste a centenas e centenas de ataques a tudo e a todos, na imensa maioria das vezes desprovidos de qualquer lógica ou verdade, por qualquer motivo. E convenhamos, quanto mais torpe o motivo, verdadeiro ou não, maior a repercussão.

Ontem (14), um fragrante fotográfico onde o técnico aparecia em segundo plano (por uma dessas coincidências da vida), sorrindo após o jogo de ontem, foi motivo de críticas, piadas e outras manifestações de escarnio. O Dorival não era o alvo do fotógrafo, ele provavelmente estava conversando com outra pessoa e ouviu algo que lhe fez sorrir. Onde está o problema? Só uma falta de um mínimo de noção e de respeito pode atribuir que ele sorria de felicidade com a derrota. Perdemos é fato, e por isso queriam o que? Que ele cortasse os pulsos? Se debulhasse em lágrimas? Estivesse chutando tudo que lhe viesse a frente?

E daí para mais uma vez, nos comentários, a imagem do clube ser jogada no lixo por nós mesmos, SANTISTAS, com as mais loucas ilações, foi um nada. E isso foi somente um exemplo.

Realmente será que temos o direito de fazer campanha de boicote? Será que temos o direito de exigir da TV uma participação mais frequente em sua grade, quando nós mesmos obrigamos a mesma a cortar o som ambiente em suas transmissões para que o “chupa rede globo” não vire hit nacional? Será que nos ajudou muito termos ameaçado fisicamente equipes de narradores e comentaristas em jogo na Vila Belmiro, de tal forma que os mesmos passaram a temer descer a serra para transmissão de nossas partidas?

Não sei se estou certo ou errado, mas uma coisa eu sei, e isso é incontestável.

QUEM QUER RESPEITO TEM DE SE DAR AO RESPEITO.

E a pergunta que fica é, NÓS NOS DAMOS?