Tá No Sangue S.F.C.


Já nos tiraram as bandeiras na década de 90, agora ficamos sem as faixas e a bateria

www.tanosanguesfc.com.br   Por: Márcio Veratti   01/07/2016


Libertadores 2011, foi show...

Linda festa da torcida do Peixe na conquista da Copa Libertadores de 2011   Foto Divulgação

No fim da década de 90 já nos tiraram o direito de tremular as bandeiras nas arquibancadas dos estádios no Estado de São São Paulo, como se isso fosse determinante para revolver o problema gravíssimo da violência. O problema não só continuou, como se agravou, e agora recentemente proibiram tudo, faixas, baterias, luminosos e as camisas e artigos das organizadas.

O Ministério Público do Esado de São Paulo, há anos usam essas medidas drásticas, porém ineficientes, pois a violência não é um problema exclusivo das torcidas organizadas, a violência é um problema social em todas as esferas. Essas medidas adotadas nos estádios do estado paulista, seria o mesmo que proibirem as pessoas sairem com relógios caros, usando jóias ou ostentar carros de alto padrão para não serem roubados.

Conseguiram acabar com o espetáculo feito pelas torcidas nas arquibancadas. Espetáculos que engrandeciam o evento esportivo mais popular do país, tornando uma partida de futebol mais parecida com um conserto de ópera ou um auditório de um musical.

Que saudade da época em que preparávamos papel picado em casa para serem lançados ao ar nas arquibancadas. Que saudade do tempo em que o Santos entrava em campo, e no meio daquela multidão vestindo branco, surgiam enormes bandeiras tremulando, e que saudade do recente tempo, em que a bateria ditava o ritimo do canto da torcida e os luminosos davam o tom artístico do evento.

O Movimento de Sócios do Santos F.C. Tá No Sangue, execra essas atitudes do Ministério Público do Estado de São Paulo, e teme que eles proibam a entrada de celulares nos estádios, levando em conta que a torcida do Santos deu um show nas arquibancadas do Pacaembu no último domingo, usando seus aparelhos telefônicos. onde o Santos venceu o São Paulo por 3x0.