Tá No Sangue S.F.C.

Santos é condenado a pagar R$ 74 milhões à Doyen em até três dias

Fonte: www.gazetaesportiva.com   Por: Do correspondente Tiago Salazar - Santos, SP   4/4/216

Leandro Damião foi contrato pelo Santos sob a gestão do ex-presidente Odílio Rodrigues (Foto: Ivan Storti)

Leandro Damião foi contrato pelo Santos sob a gestão do ex-presidente Odílio Rodrigues (Foto: Ivan Storti)

A Justiça de São Paulo condenou o Santos Futebol Clube a ressarcir o grupo de investimentos Doyen Sports em R$ 74 milhões em até três dias. Por meio de sua assessoria, o clube informou que “não comenta assuntos jurídicos em andamentos”, mas irá recorrer da ação. Tudo indica que o estádio Urbano Caldeira, a Vila Belmiro, mais uma vez deverá ser penhorado, como garantia judicial, até que o caso se resolva.

A cobrança da empresa com sede em malta é referente ao “valor mínimo” estipulado em contrato se Leandro Damião fosse considerado “jogador livre”. O centroavante atualmente defende o Real Betis, da Espanha, depois de um acordo no Tribunal Superior do Trabalho (TST) para se desvincular do Peixe.

No acordo firmado, o Santos fica isento de responsabilidade de arcar com o salário de Damião até o meio do ano que vem. Com isso, o Peixe economizará R$ 12.960.000 milhões ao todo, já que o com salário de Damião é de R$ 720 mil por mês.

E caso o centroavante encontre um clube que queira contar com seu futebol também a partir de julho de 2017, o Santos terá de ser ressarcido em 12 milhões de euros (R$ 52,8 milhões), ou Damião retornará ao time da Baixada Santista, com quem tem contrato até dezembro de 2018.

Se ocorrer uma eventual negociação antes do prazo combinado, parte do valor de compra de Damião será repassado ao alvinegro e ao jogador. A porcentagem desta fatia ainda não foi confirmada, pois terá de ser acertada de acordo com a legislação do país em que o atleta estiver atuando no momento.

Vale lembrar que, no acordo feito entre Santos e Damião, o alvinegro se comprometeu a pagar a dívida trabalhista que tem com o atleta em 40 parcelas. O valor total é de R$ 4,5 milhões.

A saída de Damião do Internacional para o Peixe, em dezembro de 2013 custou 12 milhões de euros e foi financiada pela Doyen Sports. Além de se comprometer, à época, a pagar o empréstimo junto aos investidores com juros de 10% ao ano, o clube assumiu o compromisso de, até 31 de janeiro de 2017, vender o atleta. Senão, terá de pagar uma multa à Doyen de 15.180.000 milhões de euros (R$ 66.4 milhões).